Mudar de vida agora: guia completo para você começar já

Tempo de leitura: 49 minutos

Mudar de vida agora. Quantas vezes você já pensou nisso?

Se você respondeu pelo menos uma, parabéns.

Você faz parte do enorme contingente de pessoas em todo o mundo que não se acomodam e que sempre buscam algo melhor.

Em algum momento, praticamente todas as pessoas se deparam com uma insatisfação que, por menor que seja, vai acabar levando a um pensamento sobre mudança de vida.

É assim desde que o mundo é mundo.

A questão é que algumas pessoas sabem disso e vão atrás das mudanças.

Outras ficam estagnadas, reclamando, remoendo os problemas e se afundando em um ciclo de tristeza e angústia, que gera ainda mais incapacidade de agir.

Já aconteceu isso com você?

Não se preocupe.

Se chegou até aqui é porque está em busca de soluções e estímulos para dar o tão sonhado primeiro passo para mudar de vida agora.

E já pode até comemorar, porque as notícias são boas.

Com um pouco de esforço e apoio você vai conseguir se mover rumo ao desejo de mudar de vida.

Parte deste apoio você tem aqui,  com as dezenas de dicas que separamos neste guia completo que vai fazer você, definitivamente, se encorajar para a tão sonhada mudança de vida.

Continue lendo.

 

Por que mudar de vida agora?

mudar de vida

Antes de entrarmos nas dicas, vale uma reflexão do porquê uma pessoa pode e deve mudar de vida.

Deve ficar claro que não adiantar você dizer: “quero mudar de vida radicalmente”, sem ter a ideia do que isso significa.

Toda mudança, em geral, reflete a passagem de um determinado estágio para outro.

Seja de saúde, financeira, na carreira profissional, de relacionamento pessoal ou de outra forma, a mudança significa deixar algo para acolher novas possibilidades de viver plenamente.

Às vezes, as mudanças na vida acontecem de forma planejada e chegam naturalmente, como aquela promoção no trabalho para a qual você tanto se preparou.

Em outras circunstâncias, buscamos mudanças porque estamos insatisfeitos com algo, que ainda é possível tolerar, mas que já está incomodando.

Só que, em boa parte dos casos, queremos algo novo porque é a única alternativa que nos resta.

Este último estágio chega quando já perdemos o emprego, o casamento, os amigos, a saúde e por aí afora.

Em qualquer das possibilidades, a busca pela mudança reacende a chama de viver e traz novo sentido para as coisas mais simples.

Isso mexe com a adrenalina, com as conexões cerebrais que nos dão prazer e resulta em um combustível capaz de nos empurrar com força para a realização naquilo que fazemos.

Essa é a graça da mudança na vida.

Sempre descortina uma expectativa pelo novo, pelo inesperado ou, em alguns casos, pela única solução capaz de evitar uma depressão profunda.

 

Preparando a mente para mudar de vida

Uma mudança sólida de vida começa com o preparo da mente.

É necessária praticamente uma reconfiguração mental para que todo o esforço de se alcançar outro patamar na vida seja mais eficaz.

É o mesmo que o processo de construção de uma casa. Sem uma fundação sólida, a casa pode ruir.

Sem preparar a mente, as respostas às tentativas de mudança são mais lentas e inconsistentes.

Veja 4 passos básicos para deixar sua mente pronta para iniciar o processo de mudança

1) Mudança de mentalidade

O primeiro passo para mudar de vida e ser feliz é mudar a forma como você pensa.

Como assim?

É preciso querer e estar aberto para ver tudo com outros olhos e, principalmente, se livrar de crenças limitantes.

Não foque nos problemas, nos desafios e no tempo que a mudança pode levar. Foque em como estará bem quando o processo de mudança se desencadear.

Faça projeções mentais de como estará em um determinado momento, reflita sobre os ganhos de qualidade de vida que terá e deixe-se envolver por sentimentos de alegria, de satisfação e de amor que vão tomar conta de você.

Quer experimentar já um pouco do que estamos falando?

Vamos lá:

mudar de vida

Feche os olhos e imagine-se na casa que gostaria de ter, no trabalho desejado, na viagem sonhada, no carro que quer comprar, com as pessoas das quais gosta e com a saúde que almeja conquistar neste processo de mudança.

Sinta os cheiros, as texturas das coisas, a temperatura do lugar.

Imagine o que estará conversando com as pessoas, projete o que estará comendo e bebendo, a roupa que estará vestindo. 

Atente-se aos mínimos detalhes.

Construa um cenário que sempre sonhou e deixe-se embriagar por toda esta atmosfera de satisfação que permeia o seu pensamento.

Fique nesta mentalização por pelo menos dez minutos, todos os dias, de preferência na hora de dormir ou em um momento em que não terá interrupção.

Garanto que vai terminar o exercício leve, com um sorriso no rosto e com energia radiante para conquistar tudo o que projetou.

Quer outra boa notícia?

Você já deu o primeiro passo em busca dessas conquistas todas.

Aí você diz: “mas basta ficar pensando e pronto, tudo acontece”?

Lógico que não.

Mas saber o que quer, sentir o que deseja e pensar sobre isso já faz a sua mente se familiarizar com este cenário.

E a mente tem poder de realização. Quando perceber, você estará indo na direção destas realizações.

 

2) Quer mudar de vida agora? Pare de reclamar

Outro aspecto importantíssimo no processo de mudança de vida é parar de reclamar.

Tenha absoluta certeza disso:

Reclamar da vida, do trabalho, do cônjuge, dos amigos, do governo, do trânsito, da falta de dinheiro, da saúde….

Enfim, reclamar de tudo o que está em sua volta não vai melhorar em nada a sua vida.

Pelo contrário!

Quando você reclama, você cria uma energia de negatividade e de repulsa.

Pode reparar em outras pessoas que reclamam muito. Elas se tornam carrancudas, antipáticas e nada amigáveis.

Você gosta de ficar perto de pessoas assim? Tenho certeza de que não.

Da mesma forma, as pessoas não vão querer ficar perto de você se se tornar um reclamador compulsivo e ranzinza.

Assim, você perde oportunidades de emprego, de conhecer gente influente, de ganhar aquela promoção e por aí afora.

Além disso, de tanto reclamar, a sua mente entende que é esse o processo mental que lhe satisfaz.

Com isso, inconscientemente, você mesmo vai agir para que surjam novas oportunidades de reclamar.

Cria-se um ciclo no qual a sua vida vai piorando cada vez mais para que você possa reclamar cada vez mais.

Não adianta fugir disso. É assim que funciona. Então, pare já de reclamar.

 

3) Pare de dar desculpas

Quem quer mudar de vida rapidamente precisa urgentemente parar de dar desculpas.

Veja se isso se enquadra na sua vida:

  • “Ah, não arrumo emprego porque o Brasil está em crise”
  • ‘Fui demitido porque o chefe não gostava de mim”
  • “Não consegui aquela vaga porque a empresa é preconceituosa”
  • “Não faço exercícios físicos porque não tenho tempo e nem dinheiro para pagar academia”
  • “Não aprendo Inglês porque os cursos custam caro”
  • “Falta tempo para eu fazer cursos de aperfeiçoamento pessoal e profissional”

Alguma vez na sua vida já disse alguma dessas frases ou pensou sobre elas?

Não tenha vergonha de admitir.

Todo mundo já deu desculpa para justificar alguma falha.

É normal, pois ao dar desculpas a gente transfere a responsabilidade sobre nossas falhas.

Ao dizer “não arrumo emprego porque o Brasil está em crise” eu deixo de ter responsabilidade sobre não estar trabalhando porque a culpada é a crise.

Percebe como a gente faz isso, muitas vezes, sem nem se dar conta?

Este é o perigo.

Ao transferir para os outros o que é nossa obrigação, perdemos a força para agir e ficamos sempre à espera de que algo milagroso vá acontecer para melhorar a nossa vida.

Esperamos que alguém vá bater em nossa porta implorando para nos dar uma vaga na empresa; que o novo governo vai arrumar um monte de emprego para decidirmos qual queremos; que vão aparecer cursos de aperfeiçoamento do lado de nossa casa e praticamente de graça; que vai surgir uma pílula da saúde eterna que nos desobrigue de fazer exercícios, e assim por diante.

Mas todas estas desculpas, e uma infinidade de outras, podem e devem ser deixadas de lado porque, como nome diz, não passam de desculpas.

Concorda?

Então veja agora todas as desculpas listadas acima com uma argumentação para você agir diferente.

“Ah, não arrumo emprego porque o Brasil está em crise” 

Crises sempre existiram e vão existir. É nas crise que as pessoas mais empreendem, montam seus negócios, descobrem oportunidades. Basta ir atrás e se informar.

‘Fui demitido porque o chefe não gostava de mim”

Será mesmo que ele não gostava de você ou não gostava do resultado do seu trabalho? Sempre temos mania de nos fazer de vítimas quando somos demitidos.

Mas, salvo casos extremos, a demissão está sempre ligada à capacidade de trabalho e às competências que temos. Se não fazemos nosso trabalho direito, não faz sentido para a empresa continuar com a gente. Procure fazer uma avaliação criteriosa sobre a sua demissão.

Além disso, mesmo que você seja extremamente competente, será que foi cordial com os colegas, trabalhou pelo bem da equipe, não sacaneou alguém?

Hoje em dia, aspectos comportamentais são muito decisivos para a permanência no emprego.

“Não consegui aquela vaga porque a empresa é preconceituosa”

Não sejamos hipócritas. O preconceito existe sim. Mas ele apenas vai dificultar mais as coisas e não torná-las impossíveis. 

Se você acredita no seu potencial, deixe a empresa preconceituosa de lado e corra atrás dos seus objetivos em outro lugar. Você vai conseguir e vai dar ainda mais valor a isso. Há muitos exemplos de quem consegue.

“Não faço exercícios físicos porque não tenho dinheiro e nem tempo para academia”

Todo mundo sabe que cuidar da saúde é uma atitude inteligente. Mas, se você não tem no momento dinheiro e nem tempo para a academia, pode muito bem aproveitar outras situações.

Há alguns programas pela internet para você fazer exercícios em casa, com poucos minutos diários. Você emagrece, sente-se melhor com o seu corpo e ganha mais saúde pagando muito pouco. A vantagem é que toda a família pode fazer junto.

Fora isso, sempre há um parque ou praça perto de casa – e até mesmo a rua em que mora – para aquela corrida ou caminhada que já vão fazer muito bem. É prático, você vai a hora que der e não custa nada.

“Não aprendo Inglês porque os cursos custam muito caro”

Com todas as facilidades da internet, você aprende Inglês de casa mesmo, estudando a hora que quiser e puder.

Você até pode estudar com a infinidade de cursos gratuitos disponíveis na rede.

Se quiser algo mais estruturado, aposte em cursos pagos, mas que são baratos. A vantagem é que eles oferecem um método no qual fica mais fácil e rápido aprender.

“Falta tempo para eu fazer cursos de aperfeiçoamento profissional”

A desculpa de falta de tempo é a que mais se ouve de quem quer mudar de vida e não consegue.

Acredite: sempre vai haver tempo para quem quer fazer algo.

Que tal deixar de lado um pouco a novela, o futebol, aquele longos papos infrutíferos com os amigos e a busca desenfreada por bobagens nas redes sociais?

Aliado a tudo isso, experimente acordar meia hora mais cedo todos os dias e dormir meia hora mais tarde.

Você vai ver que arrumar tempo é uma questão de prioridade e vontade. Com um pouco de ajuste, vai começar a sobrar horas no seu dia.

Da mesma forma que nos cursos de Inglês, você pode aproveitar o tempo que vai sobrar para estudar em sites que oferecem cursos gratuitos para desenvolvimento pessoal e profissional, como a Fundação Getúlio Vargas e a Endeavor.

 

 4) Comece a agradecer por tudo

No processo de preparação da mente para mudar de vida, também entra o agradecimento. Depois de parar de reclamar, é hora de começar a agradecer.

Aí você fala:

“Mas eu tô desempregado, sem dinheiro, sem perspectiva de melhora, briguei com a esposa e ainda quer que eu agradeça por isso?”

Sim.

Acredite, mesmo neste cenário você tem dezenas, centenas e milhares de motivos para agradecer.

Quer exemplos?

Agradeça:

  • Por estar vivo
  • Por acordar todas as manhãs e ter a oportunidade de fazer sua vida melhorar
  • Por ter um teto, por mais simples que seja, para poder se abrigar
  • Por ter comida, por mais simples que seja, para se alimentar
  • Por ter roupas
  • Por ter um amigo ou familiar para dividir os seus problemas e ouvir sugestões
  • Por ter saído de casa e voltado à noite em segurança
  • Por estar iniciando um processo de mudança
  • Pela saúde estar boa ou por não ter algum problema mais grave
  • Pelas qualidades que você tem e que vão fazer mudar de vida

Viu só?

Enumerei apenas 10 motivos para você agradecer, mas com certeza existem outras centenas deles.

Eu, particularmente, costumo fazer, no mínimo, 100 agradecimentos por dia.

Da mesma forma como acontece com quem só reclama, ao se acostumar a agradecer, a sua mente vai trabalhar para que você tenha cada vez mais motivos para continuar agradecendo.

Não é mágica, não é crendice. É ciência.

As células do corpo se renovam a todo instante e quando uma nova surge, ela capta o estado mental do organismo e se reproduz em cima dele.

Se for algo positivo, você terá células mais saudáveis.

Se for algo negativo, aumentam as chances de doenças e de mais motivos para ficar negativo.

Acostume-se a agradecer todos os dias, a todo instante por tudo o que acontece de bom.

No começo parece estranho, mas com o tempo você se acostuma e passa a ser natural o agradecimento.

 

Agora vamos para a ação

mudar de vida

Bem, agora que você já sabe a importância de mudar a mentalidade, vamos às etapas para o processo eficaz de mudança de vida.

Diagnóstico

Tudo começa com um diagnóstico.

Sim, sabendo o que está errado, fica mais fácil buscar as soluções, sem perda de energia e de tempo.

Faz sentido, não faz?

O diagnóstico nada mais é do que um levantamento minucioso e realista acerca de todos os aspectos da sua vida, principalmente dos que lhe trazem insatisfação.

Vamos nos ater aqui aos 7 pilares que norteiam a vida de praticamente qualquer pessoa.

Para ficar mais fácil, pegue um caderno e caneta e comece anotando tudo.

Faça uma lista e escreva, uma a uma, as respostas para os tópicos listados de cada um dos seguintes pilares:

1) Vida profissional

  • Como se sente com o seu trabalho?
  • Faz o que gosta?
  • Sente orgulho do que faz?
  • É valorizado no trabalho?
  • Gera resultados para você e para a empresa?
  • É empregado e queria ser autônomo ou vice-versa?
  • Tem expectativas de alcançar cargos melhores?
  • Tem pensado em trocar de profissão ou de empresa?

2) Vida financeira

  • Como seria sua vida financeira ideal?
  • Está feliz com o que ganha?
  • O que ganha é suficiente para ter o que quer em termos materiais?
  • Vive fazendo trabalhos extras para complementar a renda?
  • Tem dificuldade para pagar as contas em dia?
  • Tem conseguido guardar dinheiro no fim do mês?
  • Tem recorrido a empréstimos para equilibrar o orçamento?
  • Está endividado e pagando juros?

3) Desenvolvimento pessoal

  • Como avalia o seu desenvolvimento pessoal?
  • Sente que o mundo está evoluindo e você não?
  • Quanto tempo não recicla os conhecimentos?
  • Abandonou aquele curso que achava interessante?
  • Desanimado para aprender sobre o que sempre gostou?
  • Preguiça em começar a pós, que sempre adia?
  • Falta foco para buscar a paz interior?
  • O que falta para se sentir melhor como pessoa?

4) Relacionamento amoroso

  • Como avalia o seu relacionamento amoroso?
  • Está bom, poderia ser melhor ou tanto faz?
  • O que tem feito, efetivamente, para ter um ótimo relacionamento?
  • As brigas são constantes?
  • Quanto tempo não saem juntos para curtir um fim de semana?
  • Não sente mais amor, mas tem dificuldade em se separar por causa dos filhos?
  • Já chegou a sair de casa?
  • Está traindo ou já sofreu traição?
  • Acha, sinceramente, que ainda podem se amar novamente?

5) Relacionamento familiar

  • Como é, em geral, o relacionamento familiar?
  • Como é com os pais?
  • Está feliz com a forma como se relaciona com os irmãos?
  • E com os filhos?
  • Não suporta os parentes do seu amor?
  • Almoços em família são sempre desagradáveis?

6) Relacionamento social

  • Tem perdido amigos?
  • Tem brigado com amigos do peito?
  • Tem dificuldade em fazer novos amigos?
  • Evita festas e encontros sociais?
  • Sem entusiasmo para aquele happy hour com a galera?
  • Anda intolerante com as pessoas no trabalho?
  • Se vê irritado quando tem que conversar com alguém para “fazer sala”

7) Saúde

  • Como está o seu estado de saúde em geral?
  • Tem ficado doente com frequência?
  • Já não tem mais o pique de anos atrás para brincar com os filhos?
  • Sente desânimo só de pensar em ir para academia?
  • Foge do futebol com os amigos no fim de semana?
  • Está acima do peso ideal?
  • Como estão os cuidados com a alimentação?
  • Tem bebido além da conta?
  • Faz exames preventivos com frequência?

Avalie com critério e com honestidade cada um dos itens listados.

Acredite, esses 7 pilares somados são responsáveis por boa parte de toda felicidade ou de toda tristeza que uma pessoa pode ter.

É quase impossível alguém ser muito feliz estando com a vida financeira resolvida, mas sem amigos e brigando com os familiares.

Da mesma forma, a pessoa pode até fazer o que gosta profissionalmente, mas não estará plena se tiver dividas e problemas de saúde.

São pilares que se somam.

Claro, dificilmente todos eles vão estar horríveis ou excelentes ao mesmo tempo.

Também cabe a você definir o que é prioridade e o que tem importância na sua vida.

Por mais que possa parecer estranho, há quem não ligue para ter um grande amor, assim como há quem viva muito bem com pouco dinheiro.

Importante também mapear, entre o que considerar problema, desde quando acontece e o que desencadeou tal situação.

Planeje as ações e as execute

O segundo passo para se mudar de vida, é fazer um planejamento das ações a serem executadas com base no diagnóstico.

Você mapeou o que está acontecendo de ruim em sua vida e o quanto cada parte disso está afetando a sua felicidade, certo?

Mas antes de sair tentando consertar tudo, é preciso definir as prioridade e fazer um plano de ação.

Não se preocupe. Não é nada complicado. Basta colocar no papel o que fazer, quando fazer e como fazer.

Aí fica mais fácil ir vendo as mudanças acontecendo, o que empolga para continuar o processo todo.

Para facilitar o entendimento, vamos fazer o planejamento com base em cada um dos tópicos listados no diagnóstico, ok?

1) Vida profissional

Se você quer mudança na vida profissional, basicamente pode ser por dois motivos:

  • Está desempregado
  • Não está feliz com a atividade que executa

Possíveis soluções para cada um dos motivos.

1) Desempregado

Estando desempregado, você pode tentar voltar ao mercado de trabalho na atividade que executava antes de sair do emprego (ou de ser demitido) ou em outra área.

Para isso, precisa estar em melhores condições em relação ao momento em que parou de trabalhar.

DICAS:

Capriche no seu currículo

Há  uma  série de modelos de currículos prontos na internet para você fazer um que vá, no mínimo, dar a chance de ser convocado para uma entrevista. 

Foque nas suas competências, no que ajudou a gerar resultados no emprego anterior, em algum projeto do qual tenha participado e que a empresa tenha crescido com ele.

Não imagine que só valem grandes realizações. Se você ajudou a implantar uma simples medida que reduziu custos no seu departamento, já vale como um feito destacável.

Melhore sua presença digital

Como está o seu perfil no Linkedin? Está atualizado?  E o perfil no Facebook, é cheio de gracinhas e críticas aos outros?

Acredite, boa parte dos gestores vasculha a vida do candidato nas redes sociais antes de se decidir pela contratação.

Um perfil no Linkedin atualizado, com suas competências, eventuais artigos que tenha escrito e com referências, com certeza vai ajudar, e muito, no seu processo de seleção.

Nas outras redes, o conselho é evitar os exageros. É legal aquela festa com os amigos, mas não precisa postar as fotos de vocês bêbados, caídos no quintal de casa e em trajes inapropriados.

Provavelmente você nunca irá saber, mas isso é suficiente para fechar algumas oportunidades de trabalho.

Peça indicações

Converse com amigos ou com colegas de trabalho para saber de vagas disponíveis no mercado.

Da mesma forma, se saiu do emprego anterior “numa boa”, vale ligar para o seu superior imediato e pedir uma carta de recomendações.

Aproveite todos os momentos – sem ser chato, é claro – para dizer que está em busca de uma vaga.

Sei de um gerente financeiro, por exemplo, que conseguiu uma recolocação por simplesmente ter dado um cartão a um diretor de uma empresa de finanças em um evento sobre o tema. Viu a oportunidade, se apresentou e deu certo.

Não espere apenas pelo emprego dos sonhos

Se está difícil a recolocação, avalie aproveitar as chances que aparentemente não são as ideais.

Uma vez empregado, você estará no mercado, conhecendo novas pessoas, fazendo contatos e sem o desespero da falta de dinheiro.

Assim, vai executando as suas tarefas ao mesmo tempo em que fica de olho em novas oportunidades.

Sem contar que, fazendo o seu trabalho bem feito, você pode ser “achado” por outra companhia.

 

2) Não está feliz com a profissão em que atua

Se o seu caso não é desemprego, mas sim insatisfação com o atual trabalho, as dicas são as seguintes para você mudar de vida agora:

Avalie o motivo da insatisfação

É comum ficarmos anos em uma empresa, fazendo a mesma atividade sem nos darmos conta de que aquilo está nos consumindo.

Comodismo, falta de iniciativa e despreparo para galgar melhores posições são, em geral, os motivos para a estagnação profissional.

Mas você precisa analisar o seu caso e ter a certeza do que é que não está bem.

Em geral, a insatisfação surge:

  • Quando o salario está baixo demais.
  • Quando queremos trabalhar em outras áreas.
  • Quando não temos mais expectativa de ascensão profissional dentro da empresa.
  • Quando queremos trabalhar em uma organização maior e melhor estruturada.
  • Quando as cobranças extrapolam os limites do bom senso.

Se for o caso, comunique o seu chefe sobre o que está incomodando e veja se há possibilidade de melhoras.

É importante que você mapeie exatamente os motivos para poder ir para o próximo passo.

Comece o caminho para o seu novo trabalho

A não ser que sua situação esteja insustentável, é melhor procurar outra vaga quando ainda está no mercado.

Os contrantes gostam de saber que o candidato a uma vaga está interessado em novos desafios e que não se acomoda.

A partir disso, siga estas dicas:

  • Monte bem o seu discurso para eventuais entrevistas e explicações do porquê estar buscando outros ares.
  • Inscreva-se em sites e em empresas que procuram vagas.
  • Fale com amigos e colegas que estão em outras corporações.
  • Ao ser chamado para uma entrevista, estude muito bem a empresa, seu mercado, concorrentes.
  • Prepare-se para responder perguntas sobre o que tem feito para ajudar a empresa atual a melhorar e como poderia ajudar a empresa na qual tem interesse em trabalhar.
  • Jamais minta sobre habilidades que não tenha ou realizações das quais não tenha participado.

A partir disso, vale o mesmo conselho de se buscar empresas de recolocação, falar com amigos que estão em outras corporações, ampliar o networking.

2) Vida financeira

ganhar mais dinheiro

Os problemas com a vida financeira são, em geral, muito fáceis de se detectar.

É simples, se você ganha menos do que gasta, você tem problemas financeiros.

A questão é que, por mais óbvio que pareça, muita gente não se dá conta disso.

Ou se dá conta depois que a situação já está desesperadora.

Os sinais básicos são:

  • Você está sempre usando o limite da conta.
  • As contas estão sempre atrasando.
  • Está constantemente pedindo dinheiro emprestado a amigos ou ao banco.
  • Tem pago uma fortuna em juros.

Se você tem problemas financeiros, muito provavelmente se enquadrou em algum dos itens acima, senão em todos.

Tudo bem, o foco aqui é resolver problemas para mudar a vida financeira, e não ficar martelando o que está acontecendo de ruim.

Então vamos lá.

Os passos básicos para ação em relação à vida financeira é chegar ao equilíbrio no orçamento.

Como se dá isso?

Com duas medidas, que, sugiro, aconteçam simultaneamente para o equilíbrio financeiro acontecer mais rápido.

  • Você e sua família precisam gastar menos.
  • Você e sua família precisam ganhar mais.
1) Gastar menos

O primeiro passo para quem está com dificuldades financeira é gastar menos do que ganha. Se não está ganhando nada, então é gastar menos mesmo, em todos os sentidos.

“Ah, mas eu já vivo num aperto danado, economizando, não tem como diminuir o orçamento”, vai dizer você.

Acredite. Tem sim como gastar menos.

Duvida?

Algumas pessoas têm real noção de que estão em dificuldades e enxugam os gastos. Mas ainda assim é possível enxugar mais.

Outras, no entanto, não admitem que estão gastando muito, mesmo se afundando cada vez mais em dívidas que não conseguem pagar.

Vou listar aqui 10 situações em que você e sua família podem reduzir os custos.

1- Alimentação

Dá muito bem para diminuir as saídas para jantar e os pedidos de comida em casa.

Também dá para trocar marcas mais caras por outras mais baratas.

E que tal começar a reaproveitar as sobras do almoço para o jantar?

2- Lazer

Cinema, futebol com amigos, churrascos com a galera, happy hour todo dia…

Garanto que há uma lista enorme de prazeres que você e sua família podem reduzir um pouco em nome da economia.

Não precisa deixar de fazer aquele churrasco que tanto adora, mas dá para comprar carnes mais baratas, por exemplo.

3 – Viagens

Seja quela ida para a praia quase todo mês, seja uma viagem para o exterior, seja a visita aos parentes no interior do Estado.

Viajar é ótimo, mas custa muito dinheiro. Avalie diminuir as viagens drasticamente.

4 – Transporte

Gosta de sair todos os dias com o seu carrão que consome muito em gasolina? Que tal deixar o possante em casa por um tempo e apostar no transporte coletivo, ou até mesmo ir a pé para os trajetos mais curtos?

5 – Academia

Claro, todo mundo sabe que malhar faz bem à saúde. Mas se está em dificuldades financeiras, é hora de trocar aquela academia top por outra mais barata, ou mesmo abrir mão de pagar para se exercitar e aproveitar a gratuidade dos parques e praças da cidade.

6- Happy hour

Quem não gosta daquele encontro com a galera no fim do dia? Papo vai, cerveja e petiscos vêm e no fim da noite a conta é alta.

Diminua os encontros com os amigos ou se reúnam em casa, com cada um pagando uma parte das despesas. No fim, você garante a diversão e a economia.

7 – Cursos

Reciclar os conhecimentos é muito bom. Mas se você ou alguém da família está naquela escola caríssima de Inglês ou naquele curso de culinária estrelado, é hora de dar um tempo no aprendizado e retomar depois.

Também dá para aproveitar as inúmeras oportunidades de aprendizado gratuito pela internet.

8 – Despesas pequenas

Você já se deu conta do quanto gasta em um mês com aquele cafezinho que toma todo dia depois do almoço?

Ou com o lanche inocente no meio da tarde?

Ou com gorjetas para o cara que “cuida” do seu carro na rua?

São inúmeras situações durante o dia em que vamos dando uns reais aqui e outros ali e que, ao final de um mês e de um ano, somam grandes quantias.

Eu já fiz esta conta e foi assustador quando percebi que gastava mais de R$ 300 por mês com cafezinho.

Habitue-se a anotar todas as despesas e se surpreenderá com os gastos.

9 – Compras desnecessárias

A assinatura de uma revista que você nunca nem abre da embalagem; a TV a cabo que você assiste uma vez na semana; o portal de notícias que você paga e nem sabe a senha para acessar; o paperview do futebol que você só viu uma vez; o pacote de dados do celular que você não utiliza nem a metade, anuidades de três cartões de créditos…

Quantas e quantas despesas a gente assume de bobeira e nem se dá conta que não aproveita?

Faça a sua lista e pare agora com todas elas.

10 – Compras por impulso

Aquela camiseta show que estava em promoção e que vai se somar às outras 30 que você já tem; aquele espeto giratório para o churrasco que você nem faz; o tênis top para academia que você nem frequenta…

Garanto que a lista de itens comprados por impulso e sem nenhuma ou pouca utilidade é grande.

A partir de agora, sempre pense se vale a pena e se você precisa mesmo.

Uma grande sacada é fazer três perguntas: “eu quero mesmo?”, “eu preciso?”, “eu posso pagar?”.

2) Ganhar mais

A tarefa de aumentar a renda familiar não é das mais simples, mas é possível.

Veja 5 dicas perfeitamente aplicáveis.

1 – Motorista de aplicativo

Conheço uma série de profissionais das mais variadas áreas que tem pego o carro à noite e/ou no fim de semana para fazer uma renda extra como motorista de aplicativo.

Acredite, alguns acabam conseguindo acrescentar à renda mais da metade do que ganham na atividade principal.

Se você não quer fazer isso, cogite alugar o seu carro para alguém trabalhar.

2 – Ganhe dinheiro com o seu conhecimento

Você é ótimo no violão, é fluente em idioma estrangeiro, é expert em fabricar móveis, tem facilidade para adestrar cachorro, sabe tudo de pintura…

Não importa a atividade. Provavelmente você tem alguma habilidade que pode ser ensinada a alguém por meio de um curso, aula particular ou consultoria e que vai lhe render dinheiro.

3 – Venda pela internet

Garanto que na sua casa há uma série de objetos (alguns novíssimos) que não estão sendo usados.

Roupas da família, brinquedos, móveis, eletrônicos, artigos de decoração, bicicleta e uma infinidade de outros itens que não estão sendo usados podem ser vendidos em sites, como Mercado Livre e Olx.

Você também pode vender produtos digitais pela internet. Livros e cursos online, até feitos por outras pessoas, podem ser vendidos por você.  Veja como neste material aqui.

4 – Preste serviços pela internet

A internet facilitou muito a forma como as pessoas podem ganhar dinheiro extra.

Você pode se cadastrar em plataformas de freelancers, como Workana e 99 freelas, para escrever textos, fazer traduções, desenhos, sites e prestar uma variedade enorme de serviços, da sua casa mesmo e ser pago por isso.

5 – Venda comida

Se você ou alguém da sua família sabe cozinhar bem, está aí uma grande oportunidade para ganhar um bom dinheiro, mesmo que nas horas vagas.

Há uma legião de pessoas que não sabem ou não gostam de cozinhar e que estão sempre buscando opções dos mais variados pratos prontos, sejam doces ou salgados.

Capriche nos preparos e na divulgação e verá que encomendas não faltarão.

3) Desenvolvimento pessoal

Um aspecto importantíssimo no processo de mudar de vida para melhor é querer estar feliz com você mesmo e ir atrás disso.

Nenhuma mudança vai fazer sentido se ela não vier acompanhada daquela gostosa sensação a cada dia que passa de dever cumprido, de paz e de leveza na alma, que costuma habitar as pessoas felizes.

Neste sentido, o passo mais importante é você se desenvolver pessoalmente, ser um ser humano melhor, mais consciente do seu poder de realização, mais sábio do que o deixa feliz e melhor preparado para enfrentar e vencer os desafios.

E como conseguir este desenvolvimento pessoal?

Veja 5 passos importantes nesta busca.

1 – Tenha absoluta consciência do que você quer

Por mais simples que isso possa parecer, a maioria das pessoas não sabe exatamente qual é o seu propósito de vida.

Ter um propósito significa ter um norte, um caminho a trilhar em busca de algo que o faça se sentir bem.

Isso é muito subjetivo e varia de pessoa para pessoa, mas alguns querem ter dinheiro e muitos bens materiais, enquanto outros querem uma vida simples com paz de espírito e tranquilidade.

Não importa qual seja o seu objetivo, mas é preciso que ele fique claro, senão você não saberá como agir para atingi-lo, e, pior, nem saberá se ele já foi conquistado ou não.

Para se ter este propósito definido, mapeie conscientemente:

  • O que o faz se sentir muito bem quando está realizando e depois de realizado;
  • O que o faz acordar com ânimo e ir dormir planejando o dia seguinte;
  • O que o motiva a se doar por inteiro para conseguir;
  • O que o faz continuar persistindo mesmo quando o resultado não aparece.

Depois de fazer este mapeamento, você terá um bom entendimento do que o motiva a viver e do que é o seu propósito.

Muitas pessoas chegam a conclusão de que querem viver viajando, outras que precisam se doar mais para a família, outras que precisam estudar mais e assim por diante.

2 – Fazer um plano de vida

Se profissionalmente a gente tem que definir as metas e objetivos e como atingi-los para dar resultado à empresa em que trabalhamos ou ao próprio negócio, por que não fazermos o mesmo com a nossa vida pessoal?

Se o que te faz feliz é fazer pelo menos uma viagem por mês ou doar duas horas diárias a um projeto voluntário ou ainda ter um sitio para cultivar alimentos, prepare-se para isso.

Faça já um plano do que precisa em termos de recursos financeiros, de dedicação diária e de tempo para ter a sua conquista.

Coloque tudo em uma planilha, dividindo o que precisa ser feito em períodos de dia, semana, mês e ano, para que atinja o objetivo final.

Por exemplo: se quer ter um sítio para mexer com a terra e cultivar suas verduras, legumes e frutas, defina o tamanho ideal, o quanto poderá pagar, os investimentos que terá que fazer para manter o sitio funcionando, pessoas para te ajudar, o aprendizado que precisará para lidar com os cultivos e assim por diante.

Não se esqueça que, se você vai cuidar disso nas horas vagas, terá que a analisar bem o tempo necessário que poderá investir versus o tempo em que planeja estar com tudo pronto. Assim, evita aborrecimentos e frustrações.

3 – Defina prioridades

Um dos grandes causadores de frustrações na vida pessoal é a falta de foco na busca por aquilo que queremos.

Uma vez definido o que você quer fazer para se sentir melhor como pessoa, foque nas ações que vão levá-lo ao objetivo final.

Seguindo o exemplo do sitio, se é isso que você quer, separe as informações sobre tamanho, valor que está disposto a pagar, localização e prazo em que quer iniciar e foque nisso.

Se você quer um sítio há cerca de 20 km de onde mora, por que perder tempo indo ver um a 50 km?

Da mesma forma, se pode pagar X, por que ficar negociando um que custa 2X?

E se o seu sonho é cultivar suas próprias frutas, legumes e verduras, para que ir ver um sítio que é lindo, mas que não há espaço suficiente para cultivar nada?

4 – Continue aprendendo

Não confunda ter foco com acomodação. Segundo no exemplo do sitio, depois que estiver dominado o cultivo de frutas, legumes e verduras, que tal partir para criação de peixes ou de porcos, galinhas, vacas etc.?

Percebe que se trata ainda de cuidar dos próprios alimentos?

A abertura para esta possibilidade vai exigir novos conhecimentos, mais aprendizado e mais dedicação.

Mas, se é isso que você gosta, com certeza vai aumentar aquela sensação gostosa de bem-estar e de realização, melhorando o seu desenvolvimento pessoal.

E assim sucessivamente.

Dominou uma técnica ou uma atividade, parta para outra. Claro, dentro das possibilidades, com o foco necessário e no tempo que der para não gerar frustrações.

Estar em busca de novos conhecimentos é sempre um combustível para nos manter ativos e felizes. Faça cursos, leia, participe de palestras, pesquise na internet etc.

E não precisa ser apenas em uma determinada área. Que tal aproveitar o ar puro e a tranquilidade do sitio para escrever um livro ou criar um curso de como fazer a própria horta?

Adquirir novos conhecimento faz muito bem a qualquer pessoa,  mas compartilhá-los é melhor ainda. É uma sensação boa, que vai contribuir para mudar de vida rapidamente.

5 – Saiba dizer não

Na busca pelo nosso desenvolvimento pessoal, temos que, necessariamente, saber dizer não.

Como assim?

Parte do que nos falta em termos de realização, vem pelas inúmeras vezes em que fazemos coisas que não queremos.

Coloque nesta lista a atenção que damos a quem não queremos dar naquele momento, ao emprego que nos deprime, aos relacionamentos com pessoas que sugam a nossa energia e a uma infinidade de roubadas em que nos metemos simplesmente por não conseguir dizer não.

“Ah, mas então só devo fazer literalmente o que eu quero? Devo afastar todas pessoas das quais não gosto, jamais arrumar um emprego se não for exatamente o que eu quero e assim por diante?”.

Óbvio que não se trata de só fazer o que se quer.

Até porque a gente não consegue só viver assim, pois dependemos de outras pessoas no dia a dia e mais cedo ou mais tarde vamos ter que “engolir” sapos.

Porém, à medida que você vai tomando consciência do que realmente o faz feliz e tendo segurança para colocar este objetivo em prática, consegue começar a dizer não.

Por exemplo: se está juntando dinheiro para a compra do sítio e algum parente ou amigo lhe pede dinheiro emprestado, você terá mais condições até emocionais de dizer não.

 

4) Relacionamento amoroso

mudar de vida

Quem não sonha viver feliz ao lado de um grande amor?

Se esta parte da sua vida também precisa de mudanças, vamos dar aqui 5 dicas para melhorar.

1 – Avalie honestamente se quer prosseguir no relacionamento

A frase acima já diz tudo. Avalie, de forma honesta com você e com a outra pessoa, se quer mesmo continuar no relacionamento.

Esse é o primeiro passo para melhorar a vida amorosa.

Por mais doloroso que possa ser uma separação, há momentos em que não adianta mais lutar contra o inevitável.

Se acabou a paixão, o tesão, o respeito e, principalmente, a admiração pelo cônjuge, o melhor a fazer é se separar.

Mas, se ainda há uma chama acesa, ainda que bem fraquinha, talvez seja a hora de reacendê-la para o bem dos dois.

2 – Não importa de quem é a culpa

Analisado se ainda quer continuar no relacionamento, o próximo passo é parar de culpar um ao outro pelos problemas.

É preciso compreender o lado do outro, do porque estar insatisfeito e analisar o que você pode fazer para melhorar.

Isto aumenta as chances da outra parte também começar a agir assim.

Com esta consciência e maturidade, os dois podem chegar mais facilmente a uma decisão se vale a pena continuar tentando ou se é mesmo melhor cada um seguir a sua vida.

3 – Se vai continuar, aja diferente

Pronto, você decidiu que quer manter o relacionamento e que ainda tem muito amor para dar. Então, se quer que tudo seja diferente daqui para frente, aja diferente.

Não se trata de falsidade ou de forçar comportamentos que nunca teve, como querer fazer programa românticos toda semana.

Mas sempre dá para fazer algo que você sabe que vai agradar, ser mais amável, cuidar com as palavras ditas no momento de raiva, abrir mão de algumas coisas etc.

4 – Se não vai continuar, reflita sobre como pode melhorar na próxima

Se a opção for mesmo a separação, então o melhor a fazer de imediato é refletir sobre tudo para evitar erros e potencializar acertos no próximo relacionamento.

É preciso admitir que pode ter errado na relação e se conscientizar de como pode melhorar neste ponto.

Sempre dá para melhorar. Talvez na relação anterior você até sabia o que podia fazer para contornar problemas, mas já estava com tanto desânimo que nem tentou.

5 – Acima de tudo, cuide da sua felicidade

Ninguém consegue fazer outra pessoa feliz se não estiver bem consigo mesmo. Essa é a premissa básica para se ter uma relação duradoura e feliz.

Muitas vezes estamos em algum tipo de relação tentando agradar aos outros quando, na verdade, não estamos satisfeitos e apenas toleramos certas situações.

Não se humilhe, não se apequene, não se menospreze, não abra mão dos seus sonhos e não deixe que a outra parte mande nas suas escolhas.

O relacionamento deve ser construído por ambos, mas preservando a individualidade de cada um.

 

5) Relacionamento familiar

Estar bem no ambiente familiar é talvez um dos pilares mais importante na composição de uma vida equilibrada e feliz.

Portanto, se  isso não é o seu caso, para mudar de vida você vai ter que dar um jeito, também, de melhorar a relação com familiares.

O mundo está cheio de exemplos de pessoas desencontradas em relação a amor, trabalho, saúde etc. e que, na maioria dos casos, se constata uma base familiar abalada.

Por mais que negue, ninguém consegue seguir feliz pela vida se é brigado, principalmente, com os pais, irmãos e filhos. Sempre vai ficar um vazio, que dificilmente será preenchido.

Sem a família por perto, faltam o incentivo para aquele projeto, a palavra amiga na hora da dificuldade, o conselho na hora da dúvida, o abraço nas conquistas e até a bronca na hora de corrigir um erro.

Mas se há ruptura, o que fazer?

Se você é o culpado pelo afastamento, seja humilde para pedir perdão.

Dificilmente um pai, uma mãe e um irmão não vão aceitar um membro familiar de volta. Se eles erraram, dê você o perdão.

Se for o caso, sentem e conversem sobre tudo o que aconteceu, coloquem os pingos nos “is” e recomecem.

O importante é ter a consciência de que a vida é curta demais para passarmos parte dela sem nos falarmos com quem amamos e, em alguns casos, por motivos muito pequenos.

Aqueles almoços de domingo, as risadas, os planos conjuntos e tudo mais que vivemos no convívio familiar valem muito a pena, mesmo com percalços pelo caminho.

É verdade ou não é?

 

6) Relacionamento social

Outro pilar importante na vida de qualquer um é o relacionamento social.

Curtir momentos de solidão pode até ser sadio, mas nos relacionarmos com as pessoas nos engrandece, nos motiva e nos faz crescer pessoal e profissionalmente.

Se você anda afastado do seu circulo social, é hora de rever isso para completar o processo de mudança de vida.

Primeiro, entenda os motivos que o levaram ao afastamento. Se você não tolera mais os amigos e as brincadeiras de sempre, pode ser que o seu momento na vida seja diferente, que você esteja buscando outro tipo de relação social, de experiências de vida e que os amigos atuais não podem te oferecer. Se tem plena consciência disso, é hora de dar um tempo mesmo desses amigos, circular por outros ares e fazer novas amizades.

Mas, também pode ser que você esteja chato, inacessível e intolerante com as pessoas que você ama.

Sempre costumo dizer se uma pessoa acha todo mundo chato, na verdade pode ser ela quem realmente é chata.

Pense nisso, reavalie o seu comportamento, tente mudar, ser companheiro dos amigos e se divertir. Se for o caso, explique que está passando por algumas dificuldades e que precisa de um tempo.

Tenha certeza de que os verdadeiros amigos vão compreender e, melhor, fazer de tudo para ajudá-lo.

 

7) Saúde

mudar de vida

Deixamos este tópico por último porque é, sem dúvida, o mais importante de todos para quem realmente quer mudar de vida.

Sem estar saudável, ninguém consegue estar bem no trabalho, na vida financeira e nas relações com a família e amigos.

O problema é que os cuidados com a própria saúde costumam ser deixados de lado e só nos preocupamos com isso quando já há algum mal afetando nosso corpo ou nossa mente.

Então listamos aqui 5 sugestões para você começar a melhorar a sua saúde a partir de agora

1 – Descubra o seu estado geral de saúde

Se você anda desleixado com a sua saúde, o primeiro passo para mudar isso é fazer um check-up.

Consulte um médico, relate a sua situação e peça exames gerais de sangue, cardíacos, tomografias e tudo mais o que ele achar necessário.

O objetivo é fazer um mapeamento completo de como está o funcionamento de órgãos como rins, figado, pâncreas e pulmões; detectar sinais de alertas para diabetes, obesidade, infarto e AVC, além de outros males.

Um dos exames mais importantes nesse check-up é pedir a ecografia total do abdômen.

Em geral, os médicos não pedem se você não reclamar de alguma dor na região, mas o exame é importante para detectar se há algum tumor em início de formação, o que pode fazer a diferença no processo de cura.

Conte ao médico histórico familiar de doenças e não esconda nenhum sintoma que possa estar sentindo.

2 – Atente-se aos indicativos de problemas

Se os exames gerais apontarem problemas ou indicativos de problemas, siga as orientações médicas.

Parece óbvio isso, não é?

Mas boa parte da população costuma não levar muito a sério o que o médico diz e acaba abandonando o tratamento assim que sente uma melhora ou não seguindo as orientações para prevenções de problemas.

Isso agrava males que têm cura, como câncer, mas que precisam ser tratados logo no início.

3 – Cuide da alimentação

Boa parte dos prazeres da vida têm consequências e muitas delas vão diretamente afetar a sua saúde.

Beber e comer do bom e do melhor é um exemplo.

Não se trata de deixar de lado tudo o que gosta, mas comece agora a maneirar.

Excesso de gordura, sal, açúcar e álcool vai te trazer problemas, mais cedo ou mais tarde. Não há como fugir disso.

Se você começar a diminuir enquanto é jovem, com certeza poderá viver mais tempo comendo o seu churrasco e tomando a sua cervejinha, com aquela sobremesa deliciosa depois.

4) Faça exercícios

Outra recomendação que vai estar em 10 entre 10 planos de mudança de vida em relação à saúde é adotar uma rotina de exercícios.

E não é por acaso, veja alguns dos benefícios de quem faz atividade física:

  • Ajuda a controlar o peso;
  • Melhora o condicionamento cardiovascular;
  • Ajuda a evitar diabetes;
  • Diminuiu riscos de osteoporose e pressão alta;
  • Contribui para evitar depressão;
  • Libera serotonina, que é o hormônio responsável pelo bem-estar;
  • Deixa você mais disposto para o trabalho e para o dia a dia.

Portanto, não nenhuma desculpa é válida para não se fazer exercícios.

Pode ser na academia mais top da cidade, pode ser no parque, no clube, na rua da sua casa e até na sua casa mesmo.

Movimente-se pelo menos 30 minutos por dia, suba os andares do prédio pela escada, vá á padaria a pé, dê umas voltas pela quadra…

… enfim, há uma infinidade de possibilidades de você se exercitar e nem precisa pagar por isso.

Não coloque no seu caminho mais obstáculos que o necessário, facilite as suas escolhas para evitar que você desanime e desista.

5 – Viva melhor, nada é mais importante do que você viver bem a sua vida

Por fim, o grande conselho que podemos deixar para uma boa saúde é o de que a prioridade máxima em nossa vida deve ser a de vivermos bem a nossa vida.

Parece confuso, mas é isso mesmo.

Tudo o que for fazer deve ser levado em conta para que a tenha prazer no que faz, e não falo apenas dos prazeres como comida, bebida, sexo e outras coisas do gênero.

Refiro-me a todos os prazeres com os quais entramos em contato no dia a dia e nem nos damos conta.

Quer exemplos?

  • Acordar cedo e dar aquela espreguiçada gostosa, lenta e consciente de cada pedaço do nosso corpo;
  • Saborear um cafezinho quente enquanto troca as primeiras palavras do dia com a família;
  • Sentir a adrenalina pelo desafio que vem pela frente em um novo dia de trabalho;
  • Aprender, trocar experiências, ensinar, se comover, refletir, se acalmar e viver intensamente todas as demais sensações que um dia de trabalho nos gera;
  • Voltar para casa com a expectativa pelo jantar gostoso com as pessoas que ama;
  • Conversar sobre planos de viagens, resolver problemas, ajudar a quem precisa;
  • Assistir ao programa preferido ou ler o livro de cabeceira que tanto gosta antes de dormir.

Enfim, são só alguns exemplos das infinidades de coisas que acontecem no nosso dia e que, na maioria das vezes, nem nos damos conta e deixamos tudo no automático, numa rotina sem graça.

Reflita sobre como cada novo dia pode ser melhor, mesmo que haja problemas. Pois só depende de nós fazer com que tudo seja diferente.

Essa é a grande graça de viver.

 

Conclusão

Bem, se você se deu conta, este guia focou em boa parte de tudo o que as pessoas precisam pensar para mudarem de vida, ou ao menos tentarem.

Não precisa concordar com tudo o que foi listado, mas, tenho certeza de que há muito aprendizado aqui. Basta transportar as dicas e sugestões para a sua realidade.

Comece implantando aquilo que julga ser mais importante, mas o ideal é que todos os dias dê um passo rumo a sua nova vida.

Leia e releia este guia quantas vezes quiser. A cada nova leitura vai absorver algo diferente.

E fique à vontade para compartilhar com amigos e familiares que também querem dar um novo sentido à vida.

Quer ver um resumo deste artigo em um vídeo animado e sensacional? Veja abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *